Lomeutec - Tutoriais e Informação

Impressoras - Das Matriciais às 3Ds

  • Publicidade: Powered by Google

    Veja nessa publicação um pouco sobre cada tipo de impressora, suas diferenças e suas principais aplicações. A forma como foram evoluindo de simples impressão de texto até alcançar um patamar tridimensional.

    Matéria

    Impressoras Matriciais
    As primeiras impressoras foram as impressoras de Impacto ou impressora Matricial e ainda são largamente usadas. Algumas podem imprimir folhas soltas, mas a maioria usa papel tipo formulário contínuo, aquele com furações na bordas laterais. Geralmente são usadas na impressão de folhas de pagamento e cupons fiscais. Seu valor é elevado, mas em contra partida, seus suprimentos (papel e fitas de impressão) são muito baratos. A manutenção nem tanto. Principalmete quando o assunto é a troca da cabeça de impressão, que é para essa impressora tão importante quanto o processador é para o computador. Elas funcionam impactando agulhas, que ficam dispostas na cabeça de impressão de forma vertical, sobre o papel. Entre as agulhas e a folha fica uma fita de impressão impregnada com tinta. É como nas antigas máquinas de escrever.

    A qualidade delas está diretamente ligada ao número de agulhas, a aproximidade entre si e a precisão do motor de avanço da cabeça de impressão. São monocromáticas e utilizadas para imprimir textos. Um outro tipo de impressora Matricial são as impressoras Margaridas. São conhecidas assim por possuírem uma esfera com caracteres que se vista de cima lembrava uma flor. Essa esfera girava para a posição correta onde o caracter impactava a fita com tinta sobre o papel fazendo a impressão. Não foram mais populares que as impressoras Matriciais, embora sua qualidade de impressão fosse melhor. Essas são as que mais se parecem com as máquinas de escrever.

    Impressoras a jato de tinta

    São as mais comuns atualmente e também as mais baratas. A variedade de marcas, preços e qualidade entre esses tipos de impressoras é enorme. Sua impressão é feita através de "espirros" de tintas sobre a folha de papel e a qualidade da impressão de algumas se aproxima das impressoras a Laser. Sua tinta fica armazenada em cartuchos que podem ser trocados por novos ou remanufaturados, ou seja, reabastecidos. Os cartuchos podem ser reabastecidos com kits próprios para isso, mas não é fácil encontrar kits completos e ao mesmo tempo baratos. Uma preocupação que você deve ter ao comprar uma impressora a jato de tinta é se será barato reabastecê-la depois. Algumas impressoras muito baratas possuem cartuchos de tintas caros. Por exemplo, você compra uma impressora que custa R$150,00 e na hora de comprar o cartucho de tinta novo você descobre que ele custa R$80,00. Algumas impressoras a jato de tinta podem imprimir com qualidade fotográfica desde de que se utilize um papel apropriado. Esse tipo de impressora é muito mais rápida na velocidade de sua impressão se comparadas as impressoras Matriciais, fora o fato de serem capazes de imprimir imagens e não somente texto.

    Impressoras a Laser

    São mais caras que as impressoras a jato de tinta, mas seu custo de impressão é mais barato se comparadas o uso em larga escala e muito mais rápidas se comparadas as impressoras Matriciais. Daí serem muito utilizadas em grandes empresas, onde é impresso muito material e é necessário também que a impressão seja de alta qualidade, rápida e com mais baixo custo possível. Você já deve ter visto uma impressora assim quando foi a uma agência bancária. As impressoras apresentadas anteriormente imprimem linha por linha e a impressora a Laser imprime uma página inteira por vez. Sua recarga é feita por meio da troca de toner. O toner é um cartucho que possui em seu interior um pô de cor escura e eletricamente carregado que ao se esgotar deve ser trocado como você faria com o cartucho das impressoras a jato de tinta. As impressoras a Laser são as mais indicadas para imprimir imagens, pois imprimem com qualidade superior às demais.

    Existem muitos outros tipos de impressoras e algumas existem para cumprir tarefas específicas, mas as apresentadas nessa publicação são as mais conhecidas. Veja a seguir o tipo de tecnologia que veremos se tornarem comuns nas lojas em alguns anos.

    Impressoras 3D

    Essas impressoras fabricam objetos a partir de uma imagem tridimensional feita no computador. Por exepmplo, você reproduz um boneco do Homem-Aranha em algum software de editoração 3D como o 3D Max e a impressora fabrica o boneco. É como ter uma fábrica particular. Aliás, muitas empresas já utilizam essa tecnologia na fabricação de modelos e protótipos. Esse procedimento feito dessa forma, fica muito mais barato mesmo levando em consideração o preço da impressora. Não existem atualmente modelos domésticos acessíveis para esse tipo de tecnologia de impressão, mas isso deve mudar em breve, já que o preço, embora ainda seja alto, já reduziu bastante desde as primeiras impressoras 3Ds criadas. O conceito de impressão tridimensional é um só, visando sempre à produção de um objeto detalhado com volume e profundidade, entretanto, até mesmo para uma única aplicação existem diversas tecnologias diferentes.

    As diferentes tecnologias de impressão 3D

    A primeira consiste na sobreposição de diversas lâminas de polímeros, as quais são coladas por meio do conteúdo de um cartucho especial de cola e cortadas em locais específicos, camada por camada, conferindo a forma final. A cor do material também pode ser escolhida (dentre cerca de cinco opções, incluindo algumas translúcidas), mas deve ser aplicada em toda a peça.
    Ao término do processo, o usuário precisa apenas destacar as partes remanescentes do bloco principal.

    O segundo método consiste na aplicação de jatos do material em pó por meio de um cartucho de impressão, que são unidos de forma seletiva por outro cartucho com conteúdo adesivo. Esta é a tecnologia de impressão tridimensional mais rápida existente atualmente, além de ser também a única que permite a aplicação de finalização colorida nos objetos (simulando a pintura). Uma variação da aplicação de cartuchos utiliza fotopolímeros em estado líquido, que são injetados e tratados em camadas por meio de uma lâmpada UV (ultravioleta). Aqui entra a combinação entre as cores preta e branca para a criação de tons de cinza, muito populares entre eletro-eletrônicos.

    Outra mais recente trabalha com materiais sólidos (chamados de ABS), que são aquecidos em uma câmara e derretidos até o ponto de injeção, sendo aplicado então um método similar ao descrito acima. Por tratar com um calor realmente elevado, o objeto construído é imediatamente depositado em uma câmara com água para ser resfriado e finalizado.

    Por fim e voltada especialmente à produção de objetos realmente pequenos — temos a micro-fabricação tridimensional em gel, que utiliza lasers focados em diferentes pontos e distâncias para tratar o material até um ponto em que ele se torne sólido. Todo o restante que não foi focado é simplesmente lavado ao fim do procedimento, se desprendendo da peça. Componentes com tamanhos inferiores a 100 nanômetros são facilmente produzidos. Outro exemplo, novamente, são as peças interligadas com partes móveis.

    Com essa impressora você poderá reconstruir a "carcaça" daquele telefone que "voou" na parede durante aquela briga de crise de ciúmes.
    Veja também as diferenças entre as TVs de LCD, PLASMA e LED.

    Nilton (LOMEUTEC)
    É formado como técnico em informática com ênfase em análise de sistemas e programação comercial. No entanto gosta mesmo é de fazer publicações para o blog lomeutec.blogspot.com onde compartilha grande parte do pouco conhecimento autodidata que adquire através de experiências, estudos diários e até mesmo de tudo aquilo que descobre enquanto navega despreocupadamente pela internet em seus momentos de ócio. Aqui no LTI acumula funções de publicador, moderador, editor, administrador e o que mais for possível e necessário.